De volta

12Jun09

Ufa! Finalmente de volta depois de 2 semanas com poucos treinos, nada digno de ser registrado aqui.

É que concluí e entreguei meu projeto do doutorado. Estou orgulhoso do meu “bebê”. Foram meses desgastantes, esgotadores diria. Mas que enfim, nasceu.

A corrida me ajudou bastante neste período. Motivação, concentração, manter a cabeça em ordem e sem stress maléfico foram os benefícios de curto prazo. Agradeço a mim mesmo ter iniciado esta atividade física justo na reta final do meu projeto.

A segunda metade do mês será tão desgastante quanto, mas ao menos já poderei voltar a ter horários mais disciplinados. Seminários, congressos e muitas viagens (alô Brasil!), mas vamos seguir e conseguir os objetivos propostos.


Natação

28May09

A natação sempre esteve presente em minha vida. Ou ao menos não me afastava dela por muito tempo.

Comecei a nadar ainda bastante novo e apesar de nunca ter sido um nadador nato, não fazia feio em pequenas disputas com amigos.

Voltei a nadar desde que decidi começar a correr e, ainda com estas lembranças na memória, abusei do esforço no primeiro mês. Resultado: nos dias programados para correr, meu fôlego sobrava, mas não tinha mais pernas para seguir o treino.

Agora, mais moderado, a natação tem sido uma ótima opção de cross training para mim. Alívia os esforços sobre as articulações, trabalho os músculos (odeio carregar peso em academia) e elevo minha capacidade pulmonar.

Vou investigar mais sobre os benefícios da natação para a corrida, bem como o ciclismo, já que uso a bicicleta como meio de transporte.


Treino na Chuva

26May09

E Deus ouviu minhas preces. Chuva em Santiago!

Depois de uma semana, para usar o futebolês, “pendurado” por uma gripe, finalmente pude voltar a treinar. E eis que pela primeira vez fui treinar na chuva.

Sim, este fato, banal para quem mora no Brasil ou mais especificamente no nordeste do país, é para quem mora aqui no Chile, um artigo de luxo ter dias chuvosos. Santiago é extremamente seco, faça calor ou frio. Chuvas por aqui só nesta época do ano e olhe lá.

Depois de me curar da gripe, retomei os treinos com uma longa caminhada (1 hora mais precisamente). Um aquecimento para a semana que começa.

Amanhã tem tiros curtos. Preparativos para uma prova de 5K que irei correr no mês de julho.


Alcatel 7K

19May09

alcatel1

Olá pessoal, finalmente arranjei um tempinho para escrever para vocês e contar como foi a corrida.

A noite de sábado para domingo foi péssima. A ansiedade não me deixava dormir bem e a cada 1 hora eu despertava. Mas quando cheguei ao local da corrida esqueci sobre esta noite mal dormida, me deixei contagiar com o ânimo da galera presente (6.000 corredores segundo a organização, mas que eu não levei a sério), e comecei a me aquecer e mentalizar uma estratégia para a prova.

Como já havia lido bastante relatos e depoimentos sobre a primeira prova, creio que cometi menos erros do que seria o normal e sai bastante satisfeito com o resultado.

A prova.

Não existia uma separação dos corredores por faixa de ritmo, de forma que logo na largada vi verdadeiros centro-avantes driblando outros corredores para conseguir um lugar melhor na pista. Busquei não me empolgar e encontrei um corredor que ia no ritmo que eu desejava. Colei nele pelos primeiros 2 kilômetros.

Era hora de consultar o relógio, para seguir fielmente a estratégia que havia elaborado: 15 minutos de corrida, com 2 de recuperação trotando e assim sucessivamente caso fosse necessário, até o kilômetro 4, quando eu pretendia não diminuir mais. Explico: até o K3,5, a prova era em uma leve subida, daí ficava plano e seguia de uma leva descida no k5. No momento que olhei o relógio tomei um susto: estava zerado! Sem marcação alguma. Não sei o que aconteceu, mas não conseguia captar nenhum sinal de meus batimentos e como o meu Polar é o modelo mais simples, não conseguia voltar a tela do cronômetro sem zerar a contagem. Enfim, estava sem marcação alguma e sem referência de tempo.

Tentei ficar calmo e me concentrar no iPod, usando as músicas como marcação de tempo. Estimei em 3,5 minutos a duração de cada música e me recordei que a playlist que havia selecionado tinha duração de 55 minutos. Para bater meu recorde pessoal, cronometrado nos treinos, deveria portanto, cruzar a linha de chegada antes que se acabasse a playlist.

E assim segui na prova com bastante segurança sobre meu ritmo e condição. Olhava constantemente para trás e para o outro lado do canal, para ver os ponteiros e os ultimos. Chegava a minha hora.

Abastecido no posto de re-hidratação, imprimi o ritmo que desejava para toda a prova (meu próximo objetivo) e fui passando vários corredores. Aquilo me empolgava e nem mesmo uma súbita pontada que eu sentia no abdômen foi capaz de me parar. Mudei o ritmo e modo da respiração e a dor passou.

Ao cruzar a linha, a música ainda tocava e vi o relógio da organização acusando os 53 minutos de prova.

Claro que este tempo é um absurdo para os corredores já experientes, ou mesmo novatos em melhor condição física. Mas cada um sabe a sua história e como chegou ali. Ao cruzar a linha, baixei o ritmo e caminhei. Uma descarga de adrenalina correu por todo o corpo e vi que sim, eu não tenho limites. Muita coisa boa vem por aí.

Resultado: não sei. A corrida foi sem chips nos calçados. Se a organização estiver correta com o número de 6.000 corredores, estimo ter chegado entre 3.500 a 4.000.

Atualizado: enquanto publicava o post, recebi um e-mail da organização avisando que irão subir fotos no site hoje ao meio-dia. Se eu me encontrar por lá, colocarei aqui para vocês.

alcatel2


alcatel

É hoje.

Minha primeira.

Depois conto como foi.

Go Pre!


Inspire-se

16May09

Belíssimo comercial da Olimpikus sobre o que nos leva a correr e que, por coincidência, se encerra com uma pergunta que é respondida no título que foi dado a este blog.